A lógica de diversificar investimentos em dólar

Publicado em 20/04/2015 às 00h22

Diversificar investimentos em dólarQueremos reproduzir trechos do Felipe Miranda, da Empiricus, porque realmente são claros na avaliação do comportamento do dólar e de seu papel em nossas economias.

O dólar deve ocupar parte relevante de suas economias.

Felipe Miranda diz que este fator deve-se primeiro a uma questão de diversificação e substancial diminuição do risco da carteira.

Se o sujeito compreende que deve diversificar entre os variados mercados brasileiros (ações, renda fixa, imóveis, etc), a lógica sugere também o entendimento da necessidade de diversificar entre moedas. Se o dólar vai mal, esse investimento em si, irá mal - mas significa que as coisas, no geral, vão bem; portanto, todo o resto da sua carteira vai andar bem. Dólar tem um caráter de hedge formidável para proteção de patrimônio.

A valorização do dólar

Mas não é só isso. Há também o prognóstico de valorização propriamente dita, por uma razão trivial: a força da economia norte-americana - uma ilha de recuperação vigorosa entre os países desenvolvidos.

O Employment Report divulgado em 05/12 é emblemático nesse sentido. Foram criados impressionantes 321 mil postos de trabalho, com uma taxa de desemprego de 5,8% - a expectativa era de criação de 228 mil.

O gráfico abaixo resume a criação de postos de trabalho mensal nos EUA:

 

 

O dado é sinalização inequívoca da resiliência da economia dos EUA. Além da referência per se ser importante, sinaliza possível antecipação do ciclo de alta do juro básico norte-americano.

A diferença de política monetária entre EUA (restritiva) e Europa/Japão (expansionista) abre um claro prognóstico de apreciação da moeda norte-americana contra as principais moedas globais.

O dólar e a nossa economia

Para além do movimento global, os fundamentos econômicos domésticos também apontam uma moeda excessivamente apreciada. Segundo nossos cálculos, a taxa de câmbio de equilíbrio - grosso modo, aquela que equilibra as contas externas - está em R$ 3,50.

Havemos de lembrar que o déficit em transações correntes é superior ao Investimento Estrangeiro Direto, de tal sorte que estamos dependentes de capitais de curto prazo para fechar nosso balanço de pagamentos. O capital de curto prazo é muito volátil e sensível a qualquer soluço da economia mundial.

Em termos absolutos, o Brasil tem o terceiro maior déficit em transações correntes do mundo, inferior apenas àqueles de EUA e Reino Unido. Nos 12 meses até outubro, o saldo negativo montou a US$ 84,4 bilhões, equivalente a 3,73% do PIB. De janeiro a outubro, o déficit monta a US$ 70,7 bilhões.

Enquanto isso, o investimento estrangeiro direto monta a US$ 51,194 bilhões nos 10 primeiros meses do ano, representando 2,71% do PIB.

Diversificar investimentos em dólar: alguns caminhos.

Note que mesmo pequenos investidores podem ganhar exposição ao dólar, sobretudo através de fundos cambiais.

Os demais, sofisticados e com poupança mais robusta (> USD 100 k para investir lá fora), podem recorrer à abertura de contas no exterior e recorrer, por exemplo, a bons fundos de High Yield e outros ETFs.

Fonte: EMPIRICUS

Invista em imóveis ou negócios nos Estados Unidos. Consulte-nos: tatianamura@neorealestate.com.br.

Visite o link para conhecer ofertas fantásticas deste momento que estão conosco para venda:

http://www.lennar.com/New-Homes/Florida/Orlando/Promo/OLHLEN_LennarReadycom

 

Categoria: Imóveis USA, Negocios nos Estados Unidos
Tags: como investir em dolar, diversificar investimentos em dólar

voltar para Blog

normalcase|tsY c15|show|||image-wrap b01 c15 bsd|news|b01 c05 bsd|b01 c05 bsd|login|fsN fwB|b01 c05 bsd|content-inner||